top of page

Quais são as VACINAS que devem ser administradas no Bengal?

É, sem dúvida, o cuidado mais importante, tanto para o filhote como para o gato adulto. Os animais devem ser imunizados antes terem contato com outros gatos adultos ou filhotes. Existem muitas doenças virais que podem acometê-los e são causadoras de muitas mortes, principalmente nos animais mais jovens. 

Para ser vacinado, o animal deve estar saudável, sem febre ou diarréia, e previamente vermifugado. Se isso não for observado, pode ocorrer falha vacinal, ou seja, o organismo não responder plenamente à vacinação. 


As vacinas que seu gato deve receber e intervalos entre as doses devem ficar a critério do veterinário que irá cuidar de seu animal. As vacinas múltiplas (tríplice, quádrupla ou quíntupla) e anti-rábica são obrigatórias em qualquer esquema de vacinação. 


Gatos adultos que nunca foram vacinados ou filhotes que já passaram da época de vacinação devem receber 2 doses de vacina múltipla (intervalo de 21 dias entre elas) e 1 dose de vacina anti-rábica. Isso também vale para gatos de procedência desconhecida, quando não se tem conhecimento ou certeza sobre o histórico de vacinação. Nunca atrase a vacina anual de seu gato mais que um mês. Se acontecer isso, além da dose anual, pode ser que ele precise receber uma dose de reforço também. 


Não se deve vacinar filhotes com menos de 45 dias de idade, a menos que a gata nunca tenha sido vacinada, pois as vacinas podem ser inativadas pelos anticorpos passados da mãe para a cria. 



Por que vacinas importadas?

A diferença entre a chamada vacina ética e a vacina nacional é a quantidade de anticorpos produzidos por cada vacina após a imunização do animalzinho.


As vacinas de laboratórios nacionais não são consideradas boas porque pode produzir uma quantidade de anticorpos não suficiente para imunização, já a vacina “ética” é importada e comprovadamente adequada para a imunização destes. 


As vacinas importadas são comprovadamente melhores que as nacionais sendo verificado através de inúmeros relatos clínicos e práticos. Após a vacinação com o produto nacional houve o retorno de animais, apresentando as doenças as quais deveriam estarem imunizados; o que não ocorre com a vacina importada, comprovando assim sua eficácia. 


Outro fator que diferem é as condições em que ocorrem a venda e aplicação da vacina. A nacional é vendida em agropecuárias, aviários ou em qualquer estabelecimento animal, onde o cliente compra, e as leva para casa em uma sacolinha plástica com gelos sem a mínima condição de conservação; muitas vezes são aplicadas pelo próprio balconista que não tem formação alguma. Não examina o animalzinho, nem pergunta como ele está, se está se alimentando, se tomou vermífugo, se tem vermes, qual sua temperatura, etc: que é o mínimo de um exame físico indispensável em uma consulta veterinária. 


Para os balconistas não há interesse em explicar a diferença entre as duas vacinas, visto que a importada somente pode ser adquirida por médicos veterinários; e estes após a aplicação carimbam e assinam a carteira de vacinação, como responsáveis pela imunização. 


A vacina importada é administrada por médicos veterinários, que são as únicas pessoas capacitadas para averiguar a saúde do seu animalzinho. Somente após a consulta com o exame clínico que é feita a vacinação. Se o felino se apresentar adoentado, com febre, diarreia ou com uma simples gripe, não é feita a vacina, para não comprometer ainda mais a saúde do animal. Faz-se o tratamento adequado e posteriormente a vacinação, garantido assim a sua eficiência. 


O aproveitamento da qualidade envolvida na imunização, está ligado diretamente na condição física e nutricional do filhote, sendo assim somente o médico veterinário tem condições de avaliar adequadamente o animalzinho. Todo reforço da vacina, é obrigatório realizar uma nova avaliação clínica, para que possa realmente conferir a imunização(proteção) ao seu animal de estimação. 


O reforço é necessário na primovacinação (primeira vez que faz a vacina), pois o organismo do seu animal necessita ser sensibilizado para promover a proteção adequada. 


Respeite o "prazo" estipulado pelo veterinário, assim como o protocolo; este pode variar de acordo com a região e os surtos de doenças existentes nestas. 


TomiFerr Bengals, possui rigoroso protocolo de vacinação, elaborado por uma junta de veterinários, os quais cuidam de nossos padreadores, matrizes e filhotes. 

A Clínica Veterinária Unidade Animal, faz os cuidados necessários aos nossos reprodutores e aos filhotes até a entrega. 


Responsável Técnico da Clínica: Dr. João Zardo Pegoraro, CRMV-SC: 05897 

Médicos Veterinário Clínico e Cirúrgico:  Dr. Mairon Graciani dos Santos (CRMV-SC: 07305) 

Contato: (49) 3563-6456 / Emergências: (49) 99833-8238 / unidade.animal@hotmail.com 


Também possuímos parceria com uma médica veterinária especialista em felinos, que atende nossos filhotes na região Sudeste do Brasil, prestando suporte aos tutores de nossos filhotes após a entrega: 

Dra. Aline Martinez Guerreiro, CRMV-SP: 30612 

Atendimento e vacinação em domicílio: (11) 94753-1634 / aline_martinezguerreiro@yahoo.com.br 

 

Comments


bottom of page